Cuidando de quem cuida

Desde o início da pandemia, não são poucos os relatos de profissionais de saúde que atuam na linha de frente do combate ao coronavírus que são contaminados, adoecem e são afetados psicologicamente e eticamente pelas decisões do dia a dia nos hospitais e postos de atendimento e no contato com a família.

Dar proteção, segurança e um mínimo de conforto e acolhimento a eles – médicos e médicas, psicólogos, enfermeiras e enfermeiros e tantos outros técnicos e gestores de área de saúde – tem mobilizado também a sociedade civil. Da arrecadação de recursos para compra e doação de Equipamentos de Proteção Individuais (EPIs), como máscaras, luvas e aventais, até cuidados com a família e com a saúde mental desses profissionais, as iniciativas se multiplicam pelo país. 

Salvando Vidas é uma campanha de arrecadação para apoiar profissionais na linha de frente em hospitais filantrópicos de todo o país. Cada real investido é dobrado pelo BNDES

Protege BR articula ações, centros de saúde e informações sobre produção de EPIs e outros produtos hospitalares em todo o país para suprir necessidades de profissionais de saúde

UFMG e Instituto dos Advogados de Minas Gerais lançam campanha para compra de insumos e materiais médico-hospitalares

Em Pernambuco, a campanha Avental do Bem foi iniciada para garantir aventais cirúrgicos para proteção dos médicos.

View this post on Instagram

A proposta do Agir para Salvar Vidas é conectar gratuitamente psiquiatras e psicólogos com profissionais da área da saúde e outros que estão ativamente na luta contra a pandemia do COVID-19 no Brasil.

Voluntários ajudam profissionais de saúde em Curitiba a meditar para controlar o estresse causado pela pandemia

View this post on Instagram

As angústias relacionadas à crise econômica e ao isolamento social imposto pela pandemia do novo coronavírus provocaram um movimento maior de pessoas manifestando suas dores, muitas vezes publicamente, a espera de acolhimento na Internet. E a demanda tem fortalecido as redes de apoio.⠀ ⠀ Nas mídias sociais, não é difícil ver postagens de pessoas que se dispõem a ouvir. Psicólogos oferecem consultas gratuitas em todo o país. Grupos de mães se mobilizam, para darem suporte psicológico umas às outras. Também parentes e vizinhos ajudam pessoas de grupos de risco, como os idosos, com favores como a ida à farmácia ou mercado. O próprio Mãos Sem Fronteiras criou um call center solidário com voluntários, que também estão conduzindo lives diárias de meditação e atuando no atendimento aos profissionais de saúde do país.⠀ ⠀ ⠀ O momento é de apreensão, mas também de solidariedade, que vem de todos os lados, de modo espontâneo. Mais sensíveis e preocupados, todos estão precisando de ajuda. E muitos estão dispostos a receber apoio e também doar atenção e carinho. Ter o reconhecimento da dor do outro e a compreensão de que seguimos todos do mesmo lado nos dá uma tranquilidade maior de que não estamos sozinhos e teremos sempre com quem contar. Que a solidariedade se multiplique ainda mais e que essa rede permaneça, mesmo depois do fim da pandemia. #VaiFicarTudoBem⠀ #eumedito #meditação #msfint #mãossemfronteiras #meditarmudaavida #meditaçãonotrabalho #meditepelapaz

A post shared by Mãos Sem Fronteiras Brasil (@msf.brasil) on

Plataforma Visit Now oferece hospedagem gratuita para profissionais de saúde protegerem suas famílias e se recuperarem das jornadas. Vídeo da plataforma aqui.

Realização

GIFE

Apoio

Alana
B3
Ford Foundation
Fundação Bradesco
Fundação Telefônica Vivo
Fundação Lemann
Fundação Tide Setubal
Instituto ACP
Instituto Unibanco
Itaú Social
Laudes Foundation